gallery/imagem3

Aplicações Clínicas

e evidências científicas

     A Terapia Orientada à Tarefa é uma abordagem terapêutica desenvolvida pelas Fisioterapeutas Australianas Roberta Shepherd e Janet Carr na década de 1980. Seu embasamento científico tem respaldo na teoria de sistemas de controle motor e teorias contemporâneas de aprendizagem motora. O modelo de sistemas propõe que o desempenhos motor e funcional emergem da interação e cooperação das características do indivíduo e da tarefa, e que nenhum sistema tem uma prioridade lógica para controlar ou organizar o desempenho final. A ideia central dessa abordagem é que, em momentos diferentes, vários sistemas podem controlar o comportamento que emerge da interação do indivíduo e da tarefa. A aplicação desta abordagem fisioterapêutica salienta que uma intervenção terapêutica eficaz depende da identificação do sistema que é crítico para controlar o desempenho motor em um determinado momento.

    O treinamento orientado à tarefas inclui uma ampla gama de intervenções, como treinamento em esteira, treinamento de caminhada no chão, treinamento de resistência e treinamento em circuito, exercícios de sentar e levantar e tarefas para melhorar o equilíbrio. Além disso, é usado o treinamento do membro superior usando tarefas funcionais, como alcançar e pegar objetos

Fisioterapeuta, Mestrado  e Doutorado em Neurociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Orientador do Mestrado em Fisioterapia da UDESC e Doutorado em Neurociências da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Desenvolve pesquisas translacionais e multidisciplinares nas linhas de pesquisa Fisioterapia Neurofuncional e Neurociências da Reabilitação.

Jocemar Ilha

Fisioterapeuta, Doutorado em Fisioterapia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Mestre em Ciências do Movimento Humano na área de Comportamento Motor pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Docente do curso de Fisioterapia  da UFSCar e orientadora de Mestrado em Fisioterapia na UFSCar. Coordenadora do Grupo de pesquisa Funcionalidade e Inovação Tecnológica em Neuroreabilitação GFIT- Neuro. Treinamento em Constraint Induced Therapy pela Universidade do Alabama-EUA.

Natalia Duarte Pereira

Stella Maris Michaelsen

Fisioterapeuta, formada em Biomecânica e Fisiologia do Movimento pela Universidade de Paris XI na França. Doutorado em Ciências Biomédicas com opção em Reabilitação na Universidade de Montreal no Canadá. Pos-doutorado na Universidade de Sydney, Australia. Docente da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Orientadora do Mestrado e Doutorado em Ciências do Movimento Humano e do Mestrado em Fisioterapia no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID) da UDESC.

gallery/stella
gallery/nat
gallery/joce